Coorlece - Cooperativa de Otorrinolaringologia do Estado do Ceará

Cirurgias Nasais

Septoplastia por videoendoscopia  x  Septoplastia (qualquer técnica) sem vídeo

Septo Nasal é uma estrutura vertical formada por cartilagem e osso localizada no nariz e que divide esta cavidade em duas outras, narina direita e esquerda.
 
Uma das patologias mais frequentes desta região é uma deformidade que pode ser adquirida ou hereditária, o desvio de septo nasal.
 
A correção desta deformidade é feita através de um procedimento cirúrgico chamado septoplastia. Deve ser operado aquele desvio que causa algum transtorno para a vida do paciente. A principal indicação cirúrgica é a obstrução nasal persistente, que causa um impacto significativo na qualidade de vida do indivíduo. Porém se o paciente não se sente incomodado, não acha que respira mal pelo nariz, não há indicação cirúrgica. Este procedimento pode ser realizado através de duas principais técnicas:
  1. Septoplastia por videoendoscopia
  2. Septoplastia (qualquer técnica) sem vídeo
 
A septoplastia por videoendoscopia, como o próprio nome já diz, é realizada com o uso de equipamentos especiais chamados endoscópios cirúrgicos. Na condução desta cirurgia com este tipo de instrumental consegue-se um elevado nível de segurança, principalmente no que se refere à complicação mais temível desta cirurgia que é o sangramento, e permitindo que o paciente saia da cirurgia sem tampão nasal. Outra vantagem desta técnica em relação à outra sem vídeo é o maior respeito à anatomia, pois se consegue uma melhor visualização das estruturas nasais e próximas a esta o que, na prática, reduz-se o risco de reoperações. A septoplastia por videoendoscopia é cirurgia que vem sendo feita corriqueiramente em grandes centros, inclusive no nosso Estado. A Cirurgia Endoscópica Funcional dos Seios Paranasais (Cirurgia de Sinusite) apresenta as mesmas vantagens quando realizada com a técnica por vídeoendoscopia, o que tornou a técnica sem vídeo obsoleta. 
 

Aparelhagem de Videocirurgia


Esse material que normalmente está inserido dentro do centro cirúrgico requer para seu manuseio um treinamento específico e continuado por parte do cirurgião que o manipula. Desta forma, tem-se solicitado sistematicamente por parte dos otorrinolaringologistas junto aos convênios a técnica que melhor traz benefício para o seu paciente, no caso a cirurgia nasal por videoendoscopia. 
 
Estes procedimentos constam em códigos na tabela CBHPM (Comissão Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos). Entretanto, mais por motivos políticos do que propriamente técnico-científicos, esta técnica não se encontra no ROL de procedimentos obrigatórios da Agencia Nacional de Saúde (ANS), o que faz com que alguns convênios relutem em autorizar a técnica que traz melhores benefícios ao paciente. 
 
Nestes casos os otorrinos do Estado que fazem parte da Cooperativa do Estado do Ceará - COORLECE, como forma de valorizar anos de estudo e empenho técnico-profissional, tem feito de maneira justa a cobrança da diferença do valor dos honorários entre as duas técnicas, a “por videoendoscopia” (que está sendo de fato realizada pelos otorrinos) e a “sem vídeo” (que o convênio autorizou).
 
 

Notícias

Quais os principais tratamentos da labirintite?

Uma coisa que muita gente não sabe é que a labirintite pode desaparecer sozinha. Em algumas semanas, ela some por completo. Contudo, quando necessário, o tratamento visa principalmente a redução dos sintomas. Se a causa for infecção bacteriana, o médico lhe receitará um antibiótico e os si

O que é labirintite?

A labirintite é um termo comumente usado para designar uma afecção que pode comprometer tanto o equilíbrio quanto a audição. A condição afeta o labirinto, estrutura da orelha interna constituída pela cóclea (responsável pela audição) e o vestíbulo (responsável pelo equilíbrio). O uso

Sinusite em crianças

  Caracterizada como a infecção causada por bactérias na região dos seios paranasais, ou seja, cavidades revestidas por mucosas localizadas dentro do crânio, próximos ao nariz. Pode aparecer em vários pontos da face da criança: na testa (frontal), nas maçãs do rosto (maxilar), entre os o
20 Anos Coorlece