Coorlece - Cooperativa de Otorrinolaringologia do Estado do Ceará

Notícias

Obstrução nasal e congestionantes: como evitar esse problema?

Adquiridos sem prescrição médica, o medicamento costuma provocar taquicardias, podendo gerar arritmias e predisposição à desenvolver hipertensão 

A congestão nasal é um problema que afeta milhões de pessoas independentemente da região e do clima. O incômodo pode ser tão forte que chega a impedir as pessoas de desempenhar atividades do cotidiano com normalidade por conta da dificuldade na respiração.

O que é?

A congestão se dá, normalmente, pelo aumento dos cornetos, que são estruturas extremamente vascularizadas que se encontram  no interior do nariz. Quando existe algum processo inflamatório, seja por uma rinite, uma resfriado ou gripe existe uma congestão, levando um aporte maior de sangue para esta região dos cornetos, fazendo com que eles fiquem túrgidos e, consequentemente, gerando a obstrução

Causas

O sintoma é bastante comum nos em pacientes portadores de rinite e nos casos de infecções virais que contém quadros de coriza. Além da rinite, alergia a giz, pólen, poeira, pêlos e outros também acontece pois acaba detectando esses agentes externos como um tipo de perigo. As alterações climáticas, principalmente as mais bruscas, também costumam agir nesse sentido.

Outro fator relatado por pacientes é a congestão noturna, ou seja, ao deitar-se. Isso acontece existe um reflexo do sistema naso-pulmonar, que se soma à outros problemas como as alergias ou um desvio de septo, por exemplo, além do possível contato com ácaros que estão na cama e que podem desencadear a obstrução.

O perigo dos descongestionantes

Normalmente adquiridos sem prescrição médica, este tipo de medicamento costuma provocar taquicardias, podendo gerar arritmias e deixa pacientes predispostos à hipertensão mais propensos a desenvolver a doença. Além disso, a sensação que essas gostas causam são passageiras, pois não tratam a inflamação contínua que causa o entupimento, mas apenas o sintoma. A tendência é da pessoa querer usar  cada vez mais a medicação, tendo que lidar com os efeitos colaterais.

Uma das orientações dos otorrinos é substituir os congestionantes por uma solução fisiológica. É também necessária uma avaliação do otorrinolaringologista, que a partir de exames clínicos, poderá identificar a causa e individualizar o tratamento. Também é indicado trocar com frequência as roupas de cama e evitar o contato com cortinas de pano e carpetes no quarto, por exemplo.

Quer saber mais? Encontre já o otorrino mais perto de você! A Coorlece disponibiliza o aplicativo “Otorrino Já”, uma maneira muito mais fácil e funcional de marcar uma consulta com otorrinolaringologistas. Você pode selecionar qual médico mais próximo de sua residência e marcar sua consulta imediatamente. O aplicativo está disponível para as plataformas iOS (https://goo.gl/qqadTy) e Android (https://goo.gl/SYoCbw)

Inspira! Comunicação e Marketing 
Assessoria de imprensa da Coorlece 
Jornalistas: Ana Lídia Coutinho (85) 98855.9844 | analidia@agenciainspira.com 
Mônika Vieira (85) 98779.2007 | monika@agenciainspira.com

Notícias

Quais os principais tratamentos da labirintite?

Uma coisa que muita gente não sabe é que a labirintite pode desaparecer sozinha. Em algumas semanas, ela some por completo. Contudo, quando necessário, o tratamento visa principalmente a redução dos sintomas. Se a causa for infecção bacteriana, o médico lhe receitará um antibiótico e os si

O que é labirintite?

A labirintite é um termo comumente usado para designar uma afecção que pode comprometer tanto o equilíbrio quanto a audição. A condição afeta o labirinto, estrutura da orelha interna constituída pela cóclea (responsável pela audição) e o vestíbulo (responsável pelo equilíbrio). O uso

Sinusite em crianças

  Caracterizada como a infecção causada por bactérias na região dos seios paranasais, ou seja, cavidades revestidas por mucosas localizadas dentro do crânio, próximos ao nariz. Pode aparecer em vários pontos da face da criança: na testa (frontal), nas maçãs do rosto (maxilar), entre os o
20 Anos Coorlece