Coorlece - Cooperativa de Otorrinolaringologia do Estado do Ceará

Notícias

Alergias e animais de estimação: como conviver

 Animais de estimação são os queridinhos de muitas famílias. Os pets trazem mais felicidade e agitação aos lares, mas esses não são os únicos fatores ligados aos bichinhos: alergia a cachorros e gatos, por exemplo, são uma preocupação constante. Pelos e outros resíduos provenientes dos animais podem causar sintomas como coceira constante, vermelhidão e lacrimejamento nos olhos, espirros, tosse e até manchas na pele. 

 
Infelizmente, a sugestão mais acionada pelos médicos é a de se livrar do pet, mas não é a única. Se você não quer se separar do seu bichinho, pode ficar tranquilo. É possível tratar e conviver com as alergias, e a Coorlece te conta como. 
 
Entendendo a alergia
Apesar do pensamento tradicional, a alergia não vem diretamente do pelo dos animais. A verdade é que os pets possuem proteínas presentes na urina, caspa, saliva e descascamento da pel, que facilmente são acumuladas no pelo do bicho, são essas substâncias as causadoras da alergia. É por isso que não só cachorros ou gatos mas também aves e outras espécies levam tais sintomas aos donos. 
 
Convivendo com a alergia
Se você tem muita vontade de ter um animalzinho mas tem medo das consequências alérgicas, o ideal pode ser optar por aqueles que costumam quase não impactar a saúde dos humanos, como peixes e tartarugas. No entanto, se você for mais tradicional, ainda é possível escolher espécies de cachorros consideradas pelos médicos menos alérgicas. 
 
Outra boa medida é manter os animais fora da casa, em jardins ou quintais. Isso evita que a pessoa permaneça em contato permanente com os fatores alérgicos no ambiente interno. Caso essa opção não seja possível, manter o pet fora do local onde você dorme já é um bom avanço. Mesmo assim, recomenda-se a troca da roupa de cama rotineiramente. 
 
Higiene
O banho no animal e a escovação dele fora de casa são medidas capazes de diminuir a quantidade de resíduos espalhados pelo ambiente principal. Os lugares preferidos do bichinho são os maiores acumuladores de alérgicos, logo, limpá-los com frequência é fundamental. 
 
Aspiradores de pó podem espalhar ainda mais os resíduos. Por isso, é importante evitar na casa objetos que aglomeram alérgenos. Não sendo possível, o melhor caminho é lavar os tapetes e limpar sofás e derivados a vapor, além de evitar a proximidades desses materiais com o animal. Filtros de ar são grandes aliados.
 
Antialérgicos
Uma possibilidade mais moderna é o uso de loções criadas especialmente para a redução de alérgenos na pele dos animais. Elas são aplicadas uma vez por semana e ainda atuam na hidratação e conservação da epiderme do bichinho. Antes de aplicar, é imprescindível consultar um veterinário.
 
Atualmente existem diversos remédios especializados para tais casos. Os usos mais comuns são de anti-histamínicos e corticoides, sempre junto a orientação de um profissional. 
 
Ficou interessado em saber mais? Entre em contato conosco através do formulário no nosso site ou marque já a sua consulta imediata em poucos cliques. Baixe o aplicativo OtorrinoJÁ e encontre o médico mais perto de você! iOS: https://goo.gl/qqadTy | Android: https://goo.gl/SYoCbw



Inspira! Comunicação e Marketing
Assessoria de imprensa da Coorlece
Jornalistas: Ana Lídia Coutinho (85) 98855.9844 | analidia@agenciainspira.com
Mônika Vieira (85) 98779.2007 | monika@agenciainspira.com

Notícias

Ouvido entupido: quais as causas?

Ouvidos entupidos tem várias causas, algumas por questões ambientais e outras de saúde. Quem nunca sentiu a sensação de ouvido entupido durante uma mudança de altitude, na descida de uma serra ou quando o avião se prepara para pousar? Ou durante um resfriado? Quais as causas mais comuns? Um

Cotonetes e limpeza dos ouvidos

  Quando pensamos em higiene do ouvido é inevitável não pensarmos nas hastes flexíveis, também chamadas de cotonetes, não é mesmo! Mas fiquem atentos! Eles podem ser utilizadas apenas para limpar e secar a parte externa da orelha e nunca devem ser introduzidas no canal auditivo. Além da po

Qualidade do sono e respiração

A apneia  afeta mais de 3 em cada 10 homens e quase 1 em cada 5 mulheres. Quem chega em casa e ao deitar consegue desligar a mente? Nem todo o mundo. O dia a dia costuma ser corrido para a maioria e por causa do estress e ansiedade que acompanham a rotina, é difícil mesmo  'apagar' e adormecer.